Você está aqui

"Vim para o Brasil para dar uma vida melhor aos meus filhos"

A venezuelana Betsabel Ortega mora em Manaus e contou com o auxílio da LBV para amenizar os impactos gerados pela pandemia.

A sua doação está renovando a esperança de muitas famílias.

Esta é Betsabel Carolina Hernández Ortega, venezuelana de 31 anos. Ela veio para o Brasil em busca de condições melhores de vida. Graças a você, que ajuda a LBV, ela recebeu, neste momento de pandemia, uma cesta de alimentos e um kit de limpeza.


Estima-se que a cidade de Manaus tenha recebido, antes da pandemia, mais de cinco mil venezuelanos.

No entanto, de acordo com o Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados (Acnur), estes imigrantes ainda vivem em condições insalubres, com moradias superlotadas e falta de saneamento básico. Quem mora nas ruas, depende do auxílio de abrigos e ONGs.

Esta população, portanto, sente de maneira mais profunda os impactos da crise mundial do novo coronavírus.

Ciente disso, a LBV entregou, por intermédio de sua Rede Sociedade Solidária, cestas de alimentos e kits de limpeza a famílias venezuelanas amparadas pelo Abrigo Nova Vida, da Associação Missionária Evangélica do Amazonas, a AME Amazonas.

Por lá, nossa Equipe conheceu a dona Betsabel Carolina Hernández Ortega,  de 31 anos.

Betsabel Carolina Hernández Ortega posa ao lado dos filhos Victor Alexander, de 11 anos; Elizabeth, 9 anos; Ester, 7 anos, Elias, 5 anos; Eliane, 4 anos; e Daviane, de dois anos. Esta família venezuelana, que reside em Manaus há dois meses, foi beneficiada pela ação solidária da LBV.


Ela está na capital do Amazonas há mais de dois meses — sem o marido, que a abandonou. Ao lado dos seis filhos, fugiu da crise humanitária e econômica que assola seu país e anseia por dias melhores em terras brasileiras.

"Saí da Venezuela com o propósito de dar uma vida melhor para os meus filhos. Uma estabilidade emocional, econômica, de alimentação e estudos. Lá, o tempo de abundância passou, já não contávamos com recursos para que fossem à escola, tivessem seus cadernos e se interessassem [nos estudos], tivéssemos comida. Chegou um tempo em que já não contávamos com a ajuda do pai deles. Foi para a parte das minas na Venezuela e não soubemos mais dele. Não estávamos indo bem, separados há mais de três anos. Sou mãe solteira e não contávamos com recursos para alimentação, por mais que trabalhasse, vendesse algo, não alcançava dinheiro para comprar comida, eram poucas as coisas que podia dar a eles. Tomei a posição de vir ao Brasil para que possam estudar melhor, ter uma boa alimentação, uma vida melhor. O que mais peço a Deus, nesse momento, é um lugar para ficar, estou indo de abrigo em abrigo e isso está afetando demais nossa vida."

Ao receber a cesta de alimentos e o kit de limpeza, endereçou a seguinte mensagem a você, que doou para a LBV:

"Muito obrigada, que Deus abençoe a todos vocês!"

Vale pontuar que, segundo a BBC, 30% das crianças venezuelanas com menos de cinco anos sofrem de desnutrição crônica.

Graças a você, esta família terá o que comer e também poderá se proteger do novo vírus.

A solidariedade não pode parar!