Você está aqui

Covid-19: os desafios das aulas presenciais

Com evasão escolar zero, unidades da LBV mostram como o acolhimento tem sido fundamental para os estudantes.

Esta reportagem foi publicada originalmente na revista BOA VONTADE nº 264, de outubro de 2021. Para ler outros conteúdos desta edição, clique aqui.

Vivian R. Ferreira

Desde o início de agosto, quem entrou nos espaçosos pátios do Conjunto Educacional Boa Vontade, na capital paulista, já pôde ver os alunos se espalhando pelo lugar, alegres, brincando ou fazendo atividades esportivas, não ainda como antes, pois há todo um rigoroso cuidado da equipe da LBV, a fim de manter o distanciamento tão importante para evitar o contágio da Covid-19.

Talvez o que não se possa imaginar ao observar cenas como essas é que, apesar da pouca idade, muitos deles viveram situações difíceis em seus lares, neste longo período de aulas remotas (mais de 1 ano e meio), que ainda continuam em modalidade de revezamento com as aulas presenciais.

Pesquisadores da área médica, por sinal, não se cansam de alertar que é um grande erro subestimar os sentimentos de crianças, adolescentes e jovens, que também enfrentaram sérias restrições impostas pela crise sanitária do novo coronavírus. Ansiedade, solidão, medo e apatia são algumas das palavras incorporadas no vocabulário dessa gente nova, cujos sentimentos merecem atenção, a fim de que não haja traumas e repercussões no futuro.

Atenta a esse cenário, desde o início da pandemia, as equipes das escolas da Rede de Ensino da LBV têm trabalhado nas cinco unidades escolares de Educação Básica da Instituição (em Belém/PA, Brasília/DF, Curitiba/PRRio de Janeiro/RJ, além de São Paulo/SP) para minimizar o impacto dessas emoções, vividas com intensidade ainda maior pelas famílias mais pobres, que tiveram dificuldades para se alimentar, estudar e mesmo ter acesso a coisas simples, como espaços minimamente estruturados.

Com a retomada do ensino presencial, ainda com rodízio das turmas, em algumas unidades de sua rede, seguindo todos os protocolos sanitários definidos pelas autoridades de cada cidade, manteve a capacitação de seus profissionais, para que eles estivessem bem e preparados para receber os estudantes e seus familiares.

Além disso, é de se destacar o fato de a LBV ter conseguido finalizar o ano de 2020 com evasão escolar zero, em plena crise da Covid-19, que infelizmente tirou 4 milhões de estudantes brasileiros, entre 6 e 34 anos, dos bancos escolares, conforme revelou a pesquisa do C6 Bank/Datafolha, realizada de 30 de novembro a 9 de dezembro do ano passado.

Abaixo, você pode conferir alguns cliques do retorno das aulas presenciais em nossa Rede de Ensino:

José Gonçalo

Brasília, DF — As equipes multidisciplinares da Rede de Ensino da LBV prestaram toda a assistência necessária para facilitar a readaptação dos educando à rotina escolar.

Ana Paula Ferreira

Belém, PA — As aulas retornaram com rodízio de turmas e todos os protocolos sanitários respeitados.

Vivian R. Ferreira

São Paulo, SP — A retomada do ensino presencial, ainda com rodízio das turmas, segue todos os protocolos sanitários definidos pelas autoridades de cada cidade, mantendo a capacitação de seus profissionais para que eles estejam bem e preparados para receber os estudantes e seus familiares.

Bianca Gunha

Curitiba, PR — Há todo um rigoroso cuidado da equipe da LBV, a fim de manter o distanciamento tão importante para evitar o contágio da Covid-19.

As dicas de educadores e psicólogos da Entidade facilitaram a readaptação dos educandos à rotina escolar, para que perdas, ou mesmo o luto vivido, sejam superados com afeto.

Para fortalecer vínculos e relações de confiança

A seguir, veja algumas das intervenções utilizadas pelos profissionais da LBV para deixar a volta ao ensino presencial mais leve.

- Rodas de conversa sobre temas diversificados, em especial sobre o dia a dia dos estudantes, criando uma conexão maior entre professor e aluno.

- Projeto para a Saúde Mental/Emocional: com roteiros sobre emoções e sentimentos, em encontros virtuais, nos quais se pode falar de autocuidado, ansiedade e depressão (os temas são escolhidos pelos próprios educandos); o assunto também ganhou destaque em conversas presenciais de orientadores e de psicólogos escolares nas salas de aula.

- Vídeo com dicas para pais e responsáveis ajudarem na organização dos estudos da garotada, elaborado pela equipe de Psicologia Escolar.


Para acompanhar outras ações sociais, siga a @LBVBrasil nas redes sociais.

+ Instagram
+ Facebook
+ Youtube