Você está aqui

“Se não fosse a LBV, a gente passaria fome”

A renda da família de Simone Silva caiu bastante nesta pandemia. E a sua ajuda faz toda a diferença para ela.

A sua doação faz a diferença na vida de muitas famílias brasileiras em situação de risco social, principalmente nesta pandemia.

Quer prova disso? Preste atenção a este emocionante relato, captado pela equipe da revista BOA VONTADE e disponibilizado na edição nº 258 do periódico.


Simone Santos Silva, de 48 anos, mora na cidade de Glorinha, a 54 quilômetros de Porto Alegre.

Márcio Francisco

A renda da família vem da coleta de materiais recicláveis. No entanto, em virtude da pandemia, os ganhos caíram consideravelmente. Além disso, há o crescente de infecção pelo novo coronavírus.

Durante o ano, Simone conta com o apoio da LBV, que atende os filhos Clara (10 anos), Dienifer (8) e Mateus (6). E esse amparo não parou, mesmo com a suspensão temporária de nossas atividades diárias, por conta da crise sanitária.

Desde março de 2020, esta família tem sido acompanhada e recebe doações mensais da LBV, para que consigam amenizar os prejuízos gerados pela Covid-19. Sobre este apoio, declarou:

“A nossa situação está terrível, não tem serviço. A única ajuda que nós temos é da LBV; se não fosse ela, a gente passaria fome. Moramos aqui em sete pessoas. Minha renda, quando eu cato latinha, é de 20, 30, 40 reais por semana, além do apoio do Bolsa Família. Não dá para sustentar a casa, pagar aluguel, água e luz. Quando a gente vê os filhos pedindo o que comer e [não tem o que oferecer], dá uma dor no coração, mas, graças a Deus, surgiu a LBV. A assistente social é muito amiga, ela procura saber como a gente está, não só se tem comida, mas dá uma palavra. Deus colocou a Instituição na minha vida. Eu não tenho internet, então, o pessoal da LBV traz o material [pedagógico lúdico] para as crianças fazerem atividades em casa. Primeiramente, quero agradecer a Deus e àqueles que doam pra Entidade nos ajudar. A LBV é tudo em minha vida!”.

Na luta contra o coronavírus, a LBV é esperança!

Comentários