Você está aqui

Projeto "Quero ou Preciso" promove conscientização sobre consumismo a crianças e adolescentes

Foi trabalho com eles os direitos e deveres do consumidor por meio de teatro, vídeos e atividades lúdicas.

Belo Horizonte, MG — Você já presenciou situações em que as crianças influenciam de forma bastante decisiva na compra de algum produto? E já esteve no outro lado da questão, procurando conscientizar os pequeninos? Não é tarefa fácil, porém muito necessária.

Pensando nisto, nos meses de março e abril, a Legião da Boa Vontade proporcionou aos atendidos que integram o programa Criança: Futuro no Presente!, desenvolvido em seu Centro Comunitário de Assistência Social, atividades de conscientização sobre Consumismo, por meio do projeto “Quero ou Preciso?”.

Viviane de Oliveira

   

Neste período, foi trabalhado com as crianças e adolescentes os direitos e deveres do consumidor, tendo em vista estas questões: o que eu quero e preciso e o que eu posso e preciso. Tudo isso por meio de pesquisas, roda de conversa, teatro de fantoches, vídeos, produção de cartazes, palestras, visita ao supermercado e compras em um mercadinho.

As palestras foram ministradas pelo doutor Leonardo Henrique de Noronha, consultor jurídico do Procon Assembleia e Évelyn Alcântara, assistente administrativa do Procon Municipal. “As crianças aqui são bem espertas, elas participaram bem e a gente chega à conclusão que sobre os direitos do consumidor todo mundo sabe um pouco. O que precisa é organizar estas informações para que tenhamos um consumo consciente, exercendo melhor o nosso poder de escolha”, ressaltou Évelyn.

E a aula prática foi realizada em uma das lojas do Supermercados BH, parceiro da Instituição. “Esta atividade é importante para nós da loja porque as reivindicações do consumidor aprimoram a qualidade do trabalho, nós ficamos mais rigorosos, passamos para as fábricas a necessidade de corrigir algumas coisas e isso melhora o nosso atendimento ao consumidor. E para as crianças é importante demais porque elas já crescem sabendo dos direitos e deveres, passam a encarar as gôndolas de outra forma, muda a visão. E elas passam uma energia positiva muito boa”, afirmou o gerente geral da loja, João Carlos.

Viviane de Oliveira

     

Nesta visita, a garotada vivenciou diversas situações aprendidas nas atividades anteriores. “Estou olhando a data de fabricação e de validade. De refrigerante eu não olhava antes e nem sabia que tinha. E nós não podemos consumir coisas vencidas”, afirmou Rodrigo Barbosa, 12 anos. A colega Fabiana Keli, 11 anos, observou ainda mais detalhes: “Aqui eu aprendi a encontrar o preço, a data de validade direitinho e tem até o modo de preparo que a gente pode olhar quando for fazer, se tiver alguma dúvida. Minha mãe não consegue muito bem ver os preços, agora eu vou poder ajudar”.

Aprender brincando

Na conclusão do projeto, a educadora social da LBV, Lorrânia Lamana, montou um ‘Mercadinho’ em uma das salas de atividades na Instituição com produtos de verdade, para eles pudessem comprar, levar para casa e utilizar. “Depois que todos fizeram suas compras, nós identificamos quem comprou de forma mais consciente e ele foi premiado com uma faixa Consumidor Consciente. Agora, eles têm uma visão muito mais crítica sobre o consumo”, ressaltou a educadora.

Viviane de Oliveira

Compraram? Sim. As notas eram papéis comuns, escrito o valor. Ítalo Samuel, de 11 anos, tem mais explicações: “O ‘dinheiro’ a gente conseguia toda segunda-feira, quando fazia bem as atividades. A gente foi juntando e hoje cada um podia comprar três coisas. Aprendi que tem que trabalhar para ganhar dinheiro, tem que economizar, comprar com o dinheiro que tem. Achei legal hoje ver os preços e o que dava para comprar”.

A garotada gostou e aprendeu. O atendido Pablo Caoni, 14 anos, disse: “Aprendi que é preciso prestar mais atenção nas coisas que a gente compra, pensar bem, ver se a gente pode e se precisa comprar. Economizar para cuidar bem do nosso planeta”. E a coleguinha Bárbara Vitória, 11 anos, relatou: “Temos que fazer economia. Tenho que respeitar o dinheiro do meu pai, quando ele puder comprar. Senão a gente vai gastando o dinheiro e quando vê está passando fome”.

Nesta Unidade, os atendidos participam também de atividades esportivas, culturais, artísticas, educativas e de lazer, além de serem acompanhados por educadores, assistente social e psicóloga, para que consigam superar dificuldades e vislumbrar um futuro melhor vivenciando a cidadania ecumênica.

Visite, apaixone-se e ajude a LBV! Na capital mineira, o Centro Comunitário de Assistência Social da Legião da Boa Vontade está localizado na Av. Cristiano Machado, 10.765 – Planalto. Telefone: (31) 3490 – 8101.