Você está aqui

Projeto Horta trabalha hábitos saudáveis em crianças de 3 a 5 anos

Escola da LBV em Taguatinga inicia projeto anual para conscientizar sobre a alimentação saudável nesta faixa etária

Nossa sobrevivência depende de vários fatores, e os alimentos fazem parte desses itens necessários. E para que eles cresçam e venham das plantações para a nossa mesa, a água é fundamental. Seja a água da chuva, ou da irrigação, o processo do plantar, germinar, crescer e servir de alimento só acontece por causa desse precioso líquido. E esse caminho vai ser acompanhado durante todo o ano pelas crianças da Escola de Educação Infantil Alziro Zarur, mantida pela LBV em Taguatinga, no projeto Horta.

Janine Martins

Lucia Watanabe, nutricionista da Escola da LBV, conta como foi o início do projeto: “São seis etapas no total e já foram três. A primeira etapa é a conhecendo a horta, e nós contamos uma historinha. Depois a socialização do conhecimento, na qual eles procuraram gravuras relacionadas ao tema, que é a horta, figuras de hortaliças e frutas, alguns alimentos que eles vão encontrar na horta. E a terceira parte foi o preparo da terra e a semeadura. Em outra etapa que vai ser a colheita”.

Um dos objetivos do projeto é, por meio do conhecimento, fazer com que as crianças mudem seus hábitos alimentares. Conhecendo a origem dos alimentos, os pequenos se sentem incentivados a prová-los e então passam a integrar a cardápio: “Como nós trabalhamos com crianças na faixa etária pré-escolar, de 3 a 5 anos, na qual eles têm muitas dificuldades de aceitar o que for diferente, estamos trabalhando a horta justamente para mostrar a importância dos alimentos, das hortaliças para a nossa saúde e, com isso, eles vão dando valor ao que estão cuidando, vão saber a origem dos alimentos, vão cuidar da planta, vão colher para depois degustar o que eles plantarem”, destacou a nutricionista.

Janine Martins

Trabalhar a proposta por etapas, como sempre acontece nas Unidades da LBV por meio do MAPREI¹, colabora para que as crianças absorvam o máximo de conhecimento possível. Giovanna de Carvalho, de 5 anos, contou para a gente o que aprendeu na primeira etapa, quando uma contação de história ilustrou a importância de uma alimentação saudável para a saúde: “O menino não comia direito, aí ele ficou doente e não podia mais brincar. Tem que comer todas as verdurinhas para não ficar doente”. \o/

Na etapa da semeadura, as crianças ficaram sabendo tuuudo o que a horta precisa. Quando perguntamos para o Davi Pereira, de 5 anos, a resposta estava na ponta da língua: “Água e sol” são os itens necessários para as plantinhas crescerem bem fortes. Ele ainda contou para a gente que gosta muito de salada.

Janine Martins

O Gustavo Prado, de 4 anos, gostou muito da manhã com a nutricionista da Escola da LBV: “Ela ajudou a gente a plantar as plantinhas, a semente”. Ele aprendeu que “tem que comer, se não comer, não vai ficar forte”.

Projetos interdisciplinares

Os projetos são ações interdisciplinares da Escola que envolvem toda a comunidade escolar, trabalhando a continuidade de hábitos saudáveis para as crianças e suas famílias, como explica a coordenadora pedagógica Elisabete Izidio: “A criança, além de aprender aqui, ela chega em casa, passa para os irmãos, para a família, e isso é muito importante, é um incentivo que recebem aqui e levam para toda a vida”. Além do projeto Horta, que incentiva uma alimentação mais saudável, o projeto Leitura também acontece durante todo o ano e desenvolve vários valores, além do gosto pela leitura.

Janine Martins

“São vários projetos que visam não só as crianças, mas também a família, que a gente sempre busca inserir no meio escolar, para a importância tanto da aprendizagem das crianças, mas também por trabalhar valores, e aí temos várias atividades que abrangem também esses projetos”, finalizou a coordenadora pedagógica.

___________

¹ Método de Aprendizagem por Pesquisa Racional, Emocional e Intuitiva (MAPREI) é a metodologia própria da Legião da Boa Vontade (LBV), componente da proposta pedagógica da Instituição e aplicada em todas as suas Unidades, dentro da Pedagogia do Afeto e da Pedagogia do Cidadão Ecumênico, criadas pelo educador e dirigente da LBV, José de Paiva Netto.