Você está aqui

Pesquisa: um instrumento para levar em conta o conhecimento prévio do aluno

Com a pesquisa, ocorre o desenvolvimento das habilidades investigativas (racionais e intuitivas).

Quantas vezes, na sua trajetória escolar, você teve de abrir uma enciclopédia ou — principalmente se você nasceu nos últimos 20 anos — uma página de pesquisa na internet? A pergunta na mente era, por exemplo, "o que é a Bauhaus?". Pois bem. Isso mostra que a pesquisa sempre teve papel importante na educação. Porém, no Método de Aprendizagem por Pesquisa Racional, Emocional e Intuitiva (MAPREI), ela faz parte da consolidação de conhecimento e é, por isso, essencial em todo o conteúdo.

O MAPREI é a metodologia própria da Legião da Boa Vontade (LBV), componente da proposta pedagógica da Instituição e aplicada em todas as suas Unidades, dentro da Pedagogia do Afeto e da Pedagogia do Cidadão Ecumênico, criadas pelo educador e dirigente da LBV, José de Paiva Netto.

Vivian R. Ferreira

A palestra A pesquisa como prática da Pedagogia do Afeto e da Pedagogia do Cidadão Ecumênico foi realizada nesta sexta-feira, 31,

+ Conheça as seis etapas do MAPREI

Uma pedagogia com Espiritualidade Ecumênica

"A proposta do educador Paiva Netto é concreta, é aplicável", conforme explicou, durante o 14º Congresso Internacional de Educação da LBV, a professora Suelí Periotto, supervisora da Pedagogia do Afeto e da Pedagogia do Cidadão Ecumênico, da Legião da Boa Vontade, doutoranda em Educação pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP). Por meio dessa linha pedagógica, o educando é visto como um Ser Espírito-biopsicossocial e que, por isso, é compreendido em sua totalidade, não sendo apenas um número na lista de presença.

A professora Suelí, a professora Aline Braga, pedagoga, pós-graduada em Metodologia das Ciências Exatas, e a professora Gisela Portilho, pedagoga, pós-graduada em Administração Escolar e em Psicopedagogia, apresentaram esses conceitos, nesta sexta-feira, 31, durante a palestra A pesquisa como prática da Pedagogia do Afeto e da Pedagogia do Cidadão Ecumênico.

+ Confira a apresentação em PDF da palestra

Elas ressaltaram que a "pesquisa", segunda etapa do MAPREI, é inserida nos planejamentos de todas as disciplinas da matriz curricular da Educação Básica. Com a inserção dessa etapa nos planos de aula, ocorre o desenvolvimento das habilidades investigativas (racionais e intuitivas), a partir de inúmeras fontes e origens e, ao mesmo tempo, valoriza-se o conhecimento prévio do educando e consideram-se suas bagagens cultural e espiritual, bem como o contexto em que ele está inserido. Nesse sentido, Suelí ressaltou que, "se não compreendermos para quem estamos falando, não direcionaremos os alunos para uma pesquisa agradável".

Para todas as idades

E não pense que são só crianças que são consideradas nessa metodologia. Segundo Gisela Portilho, "o MAPREI vale para todas as idades, desde as crianças até os mais idosos". Isso quer dizer que as atividades realizadas nas Unidades da LBV feitas com crianças desde os quatro meses de idade até os jovens da Terceira Idade seguem as seis etapas dessa metodologia, impulsionando os educandos a pesquisar, compartilhar e construir o conhecimento em conjunto.

Vivian R. Ferreira

Público acompanha, com bastante entusiasmo, as palestras do último dia do evento.

Especialmente a segunda etapa, a "pesquisa", estimula a sociabilidade e a autonomia dos estudantes ao realizar continuamente pesquisas propostas pelos educadores.

Instrumentos de pesquisa no século 21

No início desta matéria, nós demos o exemplo da pesquisa nas enciclopédias. Esse também foi um ponto ressaltado na palestra, mostrando que, conforme explicou Gisela, "os livros e as revistas continuam sendo fontes de conhecimento". Mas é importante que o professor varie a forma de proporcionar esse momento de busca. Como nem sempre é viável levar os alunos para pesquisa de campo, proporcionando o contato direto com o objeto da pesquisa, Aline ressaltou que é possível "criar, na sala de aula, um ambiente de campo", de forma a criar uma réplica do contexto estudado.