Você está aqui

O primeiro contato da criança com o alfabeto

Escola da LBV em Taguatinga encontrou um jeito divertido para que elas aprendam brincando

O lúdico é essencial para o desenvolvimento das crianças e traz benefícios físicos, intelectuais e sociais. Brincando, elas desenvolvem a autonomia e a socialização, o que na primeira infância é importante para que os estímulos sejam bem direcionados. Na Escola de Educação Infantil Alziro Zarur, mantida pela LBV em Taguatinga, o processo de letramento acontece de um jeito divertido. Acompanhamos uma dessas aulas para contar para vocês como as crianças, de 3 a 5 anos, aprendem brincando.

Janine Martins

Jogos com letras também fazem parte do ensino-aprendizagem na Escola da LBV.

Logo na chegada, os pequenos sentaram em roda na sala e relembraram, como fazem todos os dias, os combinados e a rotina da turminha. Na sequência, um convidado especial chegou: o trenzinho das letrinhas. Cantando, as crianças fizeram o caminho do brinquedo em meio à roda. Conforme a música acabava, cada um pegava uma letrinha e a apresentava para a turma. Depois, numa atividade descontraída, escreveram as letras numa folha entregue pela professora, que depois foi exposta num painel na sala de aula.

“Hoje está sendo uma aula bastante divertida, nós estamos revisando o alfabeto. (...) Estamos preparando eles para o mundo da alfabetização, de uma forma bem lúdica, prazerosa, sem mecanismo, e eles aprendem mesmo, como vocês estão vendo”, contou a professora Carla Candida. Num segundo momento, as crianças tiveram que reconhecer as letras do seu nome e ordená-las e também brincaram com jogos que tinham o alfabeto. De forma divertida, elas aprendem e compartilham conhecimento.

Janine Martins

Jogos com letras também fazem parte do ensino-aprendizagem na Escola da LBV.

Letras coloridas, desenhos, números, sons e histórias fazem parte das estratégias usadas para chamar a atenção da garotada no processo de ensino-aprendizagem; estímulos visuais que tornam o aprendizado mais significativo. Além disso, o Método de Aprendizagem por Pesquisa Racional, Emocional e Instituição, o MAPREI, que é a metodologia própria da LBV, colabora para a construção do conhecimento de forma mais eficaz.

A coordenadora pedagógica da Escola da LBV, Elisabete Izídio, explica: “Em todas as atividades que trabalhamos aqui na Escola usamos o Maprei. Focamos muito na linha pedagógica criada pelo educador Paiva Netto, onde a gente trabalha tanto o que as crianças já trazem de conhecimento prévio, apesar de ser a faixa-etária na educação infantil, eles estão vindo de casa, eles já trazem algo que agrega aqui, com esse trabalho que a LBV faz. Então a gente valoriza tudo aquilo que a criança já tem de conhecimento prévio, e trabalha aqui para desenvolver cada vez mais, dentro da nossa linha pedagógica, a aprendizagem com as crianças”.

Janine Martins

No primeiro momento da aula, um trem cheio de letras circulou pela sala. Nele, cada criança pegou uma letra e apresentou para os colegas.

Formação integral logo na primeira infância

A primeira infância é uma fase muito importante na formação do ser humano. Consequentemente, a educação infantil também tem um papel significativo na criação de hábitos e experiências que certamente acompanharão meninas e meninos em boa parte da vida.

Janine Martins

Em uma das etapas da aula, as crianças receberam letras para montarem seu nome. A Ana Clara aprendeu direitinho =)

A escola equivale a uma segunda casa na infância: é o espaço onde começamos a interagir socialmente com pessoas que não são de nossa família e formamos grande parte da nossa base de conhecimento. Nas Escolas da LBV, em todas as atividades que desenvolvemos propomos o desenvolvimento unindo “Cérebro e Coração”. No modelo proposto, a Pedagogia do Afeto e a Pedagogia do Cidadão Ecumênico, criadas pelo educador Paiva Netto, vêm para permear o ensino com uma educação de excelência aliada a valores ecumênicos.

Janine Martins

Crianças posam sorridentes depois de uma manhã de muito aprendizado sobre as letras! 

Além das aulas, refeições balanceadas preparadas por uma equipe capacitada, prática esportiva e muito mais. Na formação das equipes há psicólogo, nutricionista, assistencial social, pedagogos, além de profissionais de saúde.