Você está aqui

O mal que fez o mundo parar, mas não deteve a solidariedade

LBV segue no combate aos efeitos do novo coronavírus

Paulo Araújo

O ano de 2020 ficará marcado na história da humanidade. O contágio com o novo coronavírus, iniciado em dezembro de 2019, na cidade de Wuhan (capital da província de Hubei), na China, alastrou-se por todo o planeta nos últimos meses. Até o dia 26 de junho, os casos confirmados pela infecção da Covid-19 no mundo passaram de 9,6 milhões, segundo informações da Universidade Johns Hopkins (EUA). O número de óbitos ultrapassa a marca de quase 490 mil. No Brasil, já são mais de 1,2 milhão de casos confirmados e mais de 55 mil mortes, conforme contabiliza o Ministério da Saúde.

A fim de evitar que o número de internações ultrapasse a capacidade de atendimento dos sistemas de saúde, autoridades internacionais têm solicitado o distanciamento social entre os habitantes de seus respectivos países, atitude primordial neste momento para preservar vidas, até que tudo possa voltar ao normal. Enquanto hospitais estão superlotados, as ruas das cidades estão praticamente vazias. Essas medidas de isolamento, com autorização de funcionamento somente de comércios, indústrias e serviços essenciais, impactam a economia mundial, contribuindo seriamente para a elevação dos índices de desemprego e acarretando grandes prejuízos aos profissionais autônomos.

Helen Winkler/Diego Ciusz

Uma pesquisa do Centro de Desenvolvimento e Planejamento Regional (Cedeplar) da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) confirma esse cenário preo­cupante. De acordo com o estudo, que estima queda do Produto Interno Bruto (PIB) nacional e da geração de emprego, os lares mais pobres (com renda entre 0 e 2 salários mínimos) podem ter suas vidas mais prejudicadas neste período.

+CONFIRA ESTE CONTEÚDO DISPONÍVEL TAMBÉM NA PLATAFORMA ISSUU

Helen Winkler/Diego Ciusz

Para amenizar a situação de vulnerabilidade social de milhares de pessoas, a Legião da Boa Vontade, ao lado de outros importantes atores sociais, vem promovendo grande mobilização em todo o país: a campanha SOS Calamidades, que já distribuiu mais de 388 toneladas de doações em mais de 100 cidades de todas as regiões brasileiras. A iniciativa pretende garantir que todas as famílias em risco alimentar atendidas pela Instituição (em suas escolas, Centros Comunitários de Assistência Social e Lares para Idosos) e por organizações parceiras recebam cestas de alimentos não perecíveis, refeições e kits de limpeza, bem como orientações e informações sobre o combate à Covid-19. Vale dizer que os donativos têm sido entregues conforme as normas de distanciamento e higiene recomendadas.

Desse modo, com o apoio de doadores, de voluntários, de empresários e da classe artística, a Entidade vem reforçando a segurança dos que mal têm recursos para se manter. Confira, a seguir, a palavra de alguns dos beneficiados e a abrangência da campanha em cada região, que já impactou mais de 37 mil indivíduos até o momento.

Helen Winkler/Diego Ciusz
Helen Winkler/Diego Ciusz
Helen Winkler/Diego Ciusz
 
What do you want to do ?
New mail
Helen Winkler/Diego Ciusz