Você está aqui

O funcionamento do cérebro na aprendizagem

Especialista diz que educadores podem enriquecer o ensino conhecendo o funcionamento dos processos cerebrais

Sob o tema “Pesquisa — Caminho para a aprendizagem significativa: uma visão além do intelecto”, ocorrerá, entre 29 e 31 de julho, em São Paulo/SP, o 14º Congresso Internacional de Educação da LBV. A programação reúne palestras e oficinas destinadas a docentes, estudantes, pesquisadores, profissionais de áreas ligadas à Educação e demais interessados.

Entre os palestrantes, estará a pesquisadora argentina Virginia Gudiño. Ela é neuropsicoeducadora e neuropsicocapacitadora; diretora da rede Neurocapital Humano e da revista Neurofelicidade; copesquisadora da Universidade de Yesiva, Nova York, EUA; sócia-fundadora da Associação Argentina de Terapia de Jogo; e responsável acadêmica e tutora de cursos internacionais destinados à comunidade docente ibero-americana. O enfoque de sua explanação será “A contribuição do neurocapital humano no processo do aprendizado”.

Segundo Virginia Gudiño, a neurociência, como disciplina, ocupa-se de compreender o funcionamento do sistema nervoso, principalmente o cérebro; portanto, ela ajuda a entender os processos mentais no aspecto educativo, por exemplo, o mecanismo do cérebro para aprender e guardar informações. “São todos processos biológicos e eventos químicos e elétricos que ocorrem no interior da unidade corpo-cérebro-mente”, destaca.

De acordo com a pesquisadora, as informações passam por filtros cerebrais em diferentes lugares antes de chegar ao córtex cerebral, serem processadas e ficarem alojadas em bancos de memória. “O professor com a informação de como atravessar esses filtros cerebrais terá ferramentas para trazer à prática docente, cotidianamente, o que queira transmitir — falando de aprendizagem cognitiva — com maior possibilidade de se alojar no córtex cerebral”, aponta a especialista. A neuropsicoeducadora ressalta que a aprendizagem é também emocional. “O docente aprende e tem recursos para manejar as emoções na sala de aula, lidar com elas diretamente, primeiro conhecendo e entendendo o que é uma emoção e, depois, pelo contexto — por que pode distribuí-lo, desenhá-lo e arrumá-lo de uma maneira que desperte no aluno determinadas emoções e não outras”, explica. “Temos de estabelecer confiança com o educando. Obviamente que, se alguém tem amor e educa a partir desse amor, todos os objetivos são cumpridos”, completa Virginia.

As inscrições estão abertas. As informações podem ser obtidas pelos telefones: (11) 3225-4590/3361-6078.

SERVIÇO

Evento: 14º Congresso Internacional de Educação da LBV
Tema: “Pesquisa — Caminho para a aprendizagem significativa: uma visão além do intelecto”
Data: 29, 30 e 31 de julho.
Local: Instituto de Educação José de Paiva Netto
Endereço: Av. Rudge, 700, Bom Retiro
Informações/Inscrições: (11) 3225-4590/3361-6078, www.lbv.org/congressodeeducacao.