Você está aqui

Mudanças Climáticas e pobreza

Mais da metade da população não tem comida suficiente no seu dia a dia, o que reforça a urgência de ações estruturadas como as da LBV para reduzir esse abismo social.

Compartilhamos, a seguir, uma reportagem publicada na revista BOA VONTADE nº 264, de outubro de 2021. O tema é muito atual e pertinente, esperamos que você tenha uma boa leitura! Para ler outros conteúdos desta edição, que é gratuita, basta clicar aqui.


As mudanças climáticas, que já afetam várias partes do mundo, trazem enorme preocupa­ção quanto ao futuro da humanidade. De acordo com o relatório do Painel Intergovernamental de Mudanças Climáticas (IPCC, na sigla em inglês), órgão ligado à Organização das Nações Unidas (ONU), publicado em 9 de agosto, pode ser inevitável o aumento de 2ºC na temperatura global ainda neste século, em decorrência do aquecimento global.

Egeziel Castro

Nova Nazaré, MT — A família de Alzira Xavante foi uma das 300 beneficiadas pela LBV. Na foto, ela aparece com três de seus cinco filhos.

As consequências disso já estão presentes no dia a dia das pessoas, como as recentes ondas de calor vistas na Grécia e no oeste da América do Norte, as inundações na Alemanha e na China e as tempestades no Haiti e nos Estados Unidos.

Aqui no Brasil, a mídia frequentemente tem alertado quanto à crise hídrica nas Regiões Sul e Sudeste, ocasionada principalmente pela falta de chuvas nos últimos meses — fator agravado pelo fenômeno La Niña e pelo desmatamento da Amazônia. Além da estiagem prolongada em vários pontos do território nacional, somam-se as queimadas.

Por causa desse enorme prejuízo ao meio ambiente, com a destruição de habitats naturais e o risco de extinção de diferentes espécies da fauna, as plantações e os pastos também são atingidos, o que faz com que a produção agropecuária sofra fortes impactos, encarecendo itens comuns da refeição do brasileiro, como o arroz, o milho, o óleo de soja, o açúcar, o leite e o café.

Em se tratando desse último, por exemplo, a safra já estava comprometida pela escassez de chuvas logo nos primeiros meses do ano. Com o registro de geadas em julho, nos Estados de Minas Gerais e São Paulo, a situação ficou ainda mais complicada. Ao causar danos aos cafezais, o frio intenso tende a reduzir a produção em 2022. Em geral, a geada não resulta em grandes problemas para os grãos prontos para a colheita, e sim para safras futuras.

Por causa dessa situação, há projeções de que o consumidor possivelmente pagará 40% a mais até o fim de setembro, de acordo com estimativa da Associação Brasileira da Indústria de Café (Abic). No caso do leite, o aumento dos custos no campo também são repassados a quem compra.

Nesse perigoso efeito dominó, as famílias pobres são as que mais sofrem. Felizmente, muitas delas têm contado com o indispensável apoio da Legião da Boa Vontade, que, desde o início da pandemia, já distribuiu, em todas as regiões do país, mais de 7 milhões de quilos em doações, entre cestas de alimentos não perecíveis, cestas verdes (frutas, legumes e verduras), litros de leite e kits de material de limpeza e de higiene.

As fotos abaixo revelam algumas dessas entregas. A LBV tem sido fonte de proteção nas horas de maior necessidade dos atendidos.

Em vista disso, além de chamar a atenção de todos para o cuidado permanente para com a Mãe Natureza, a LBV convida você a fazer parte desta corrente solidária, principalmente nos meses finais deste ano, quando ocorre a tradicional campanha Natal Permanente da LBV — Jesus, o Pão Nosso de cada dia!, que visa entregar, nesta edição, mais de 50 mil cestas de alimentos, levando comida a mais de 200 mil pessoas em todo o Brasil.

O clima de final de ano pode até ser propício para a troca de presentes, mas é importante lembrar que a SOLIDARIEDADE é a mensagem principal do Natal. Por isso, ele deve ser Permanente e o seu ideal tem que ser praticado em todos os dias do calendário. \o/

Ajude a proporcionar um Natal digno e sem fome a essas famílias.