Você está aqui

LBV promove oficina de Esperanto a alunos de seu Conjunto Educacional

A atividade visou divulgar o Esperanto e a comunidade esperantista, incentivando os jovens alunos a estudar o idioma.

A Legião da Boa Vontade (LBV) realizou, nesta quarta-feira, 27, uma oficina de Esperanto para os estudantes do Instituto de Educação José de Paiva Netto (IEJPN), localizado na capital paulista. A atividade foi dirigida a alunos com idades entre 11 e 15 anos.

Vivian R. Ferreira

São Paulo, SP – A diretora Tamires Maciel ministrou a primeira parte da palestra apresentando a história do Esperanto e contando como a sua criação surgiu da ideia de que nenhuma língua é mais importante do que as outras.

A atividade, realizada em parceria com a Organização da Juventude Esperantista Brasileira (BEJO – “bêio”, como é a pronúncia em Esperanto), foi ministrada por Anderson Delgado de Oliveira e Tamiris Maciel Queiroz, diretores da Organização da Juventude Esperantista Carioca (Karejo – “carêio”, como se diz em Esperanto), um departamento da BEJO no Rio de Janeiro.

Também estiveram presentes o presidente da Karejo, Matheus Arantes Pacheco, o médico e tradutor Paulo Sergio Viana; e Sidnea Beall e Anna Lobo, membros da Associação Paulista de Esperanto (EASP).

Com o objetivo de divulgar o Esperanto e a comunidade esperantista, incentivando os jovens alunos a estudar o idioma, a palestra também mostrou como a língua é usada em viagens, intercâmbios culturais, congressos mundiais, na literatura, no ensino de outras línguas, na televisão, na internet e em transmissões de rádio.

Roteiro de conhecimento

No início da descontraída conversa, com a sala lotada de crianças e adolescentes, contou-se um pouco sobre a relação da LBV com o idioma internacional, uma vez que a Instituição divulga, desde os seus primórdios, o Esperanto na rádio, em publicações, conteúdos, entre outras ações.

Em seguida, Tamires Maciel apresentou a história do Esperanto e contou como se deu sua criação, pontuando que a língua não é mais importante do que a outra e foi feita para ser um idioma neutro.

Vivian R. Ferreira

São Paulo, SP – A segunda parte da palestra foi ministrada pelo diretor Anderson Delgado de Oliveira que explicou o alfabeto da língua e ensinou algumas palavras em esperanto para os estudantes.

Em sua explanação, o presidente da Karejo, Matheus Arantes Pacheco, contou experiências marcantes que ele vivenciou em outros países, e como o idioma possibilita fazer novas amizades com pessoas do mundo inteiro.

Ele ainda explicou aos estudantes o que era o Pasporta Servo e como ele funciona. Os jovens ficaram muito animados com a proposta do serviço em Esperanto que consiste em uma rede internacional de hospedagem.

Já o médico e tradutor Paulo Sergio Viana também conversou com os estudantes, destacando o diferencial do idioma e quais sãos os seus ideais. Em suas palavras, fez questão de mostrar que o Esperanto não é só uma língua, mas sim uma questão de justiça mundial, é falar com todos com Fraternidade.

Na última parte da palestra, ministrada por Anderson Delgado de Oliveira, as crianças e os adolescentes aprenderam o alfabeto da língua e algumas palavras em esperanto.

Após a atividade, em entrevista à Super Rede Boa Vontade de Comunicação (TV, Rádio e Internet), a aluna Raissa, de 12 anos, comentou: “Eu aprendi o Esperanto e eu descobri que ele é uma língua internacional que dá para você ganhar vários amigos. Não é difícil [aprender] para quem se esforça e tem força de vontade”.

Os palestrantes ainda visitaram as instalações do Conjunto Educacional Boa Vontade —  formado pela Supercreche Jesus e pelo Instituto de Educação José de Paiva Netto. “Eu gostei bastante de conhecer a LBV, eu não conhecia tão bem o trabalho [desenvolvido pela Instituição]. É muito legal ver que as crianças têm uma educação totalmente diferenciada, que não é somente educação, mas também é o carinho, é o amor; eu gostei bastante disso”, disse Matheus Arantes Pacheco.

Jéssica Botelho

São Paulo, SP – Os palestrantes conheceram o Conjunto Educacional Boa Vontade e na oportunidade passaram pela Biblioteca Bruno Simões de Paiva. =D

A Oficina de Esperanto foi um sucesso e proporcionou um ambiente descontraído e de aprendizado para todos os presentes. Ao final da atividade, cada aluno recebeu um certificado de participação. =D

Por que aprender o Esperanto?

Aprender Esperanto — língua criada pelo médico e linguista polonês Lázaro Zamenhof, em 1887 — é bem fácil pela sua gramática rápida e prática, além de contribuir para o aprendizado de outros idiomas. Ele tem o objetivo de servir de ferramenta de comunicação entre pessoas das mais variadas origens e nações, promovendo paz entre todos. Saiba mais!