Você está aqui

LBV – Esporte é Vida, não violência!

Por muitos anos, Alziro Zarur fez do rádio um grande aliado na tarefa de despertar nas pessoas o sentimento de solidariedade, a fim de promover ações socioeducacionais. Paiva Netto, que foi o principal assessor dele durante quase um quarto de século, era o braço direito nessas empreitadas.

Arlindo Filho
Placar eletrônico do Maracanã, no Rio de Janeiro/RJ.

Em 1978, de modo pioneiro, Paiva Netto levou os ideais fraternos da LBV ao Estádio Jornalista Mário Filho, mais conhecido como Maracanã. A finalidade foi a de colaborar para um ambiente de Paz entre os torcedores no famoso local. Ele organizava as equipes que conduziam faixas com frases educativas da Instituição, as quais eram apresentadas ao público no campo durante o intervalo dos jogos e também ficavam afixadas nas arquibancadas.

Arquivo BV

O propósito de difundir os ideais da Legião da Boa Vontade em um meio no qual isso era ainda inédito foi extremamente positivo. Surgiu, dessa maneira, a campanha LBV — Esporte é Vida, não violência!. Essa teve o apoio imediato do locutor esportivo da Super Rádio Tupi (Rio de Janeiro/RJ) e apresentador de TV José Carlos Araújo — então na Rádio Nacional do Rio de Janeiro/RJ (1.130 kHz) — e de toda a equipe dele, que divulgavam as máximas da LBV, além do suporte da centenária Gazeta de Notícias, em que eram publicadas matérias contra a violência e pela Paz nos estádios. O movimento espalhou-se para muitas outras cidades do Brasil e do exterior. Era comum a entrega do troféu da LBV aos times vencedores dos campeonatos regionais e do Brasileiro.