Você está aqui

LBV doa alimentos para famílias de Guarulhos

Por meio de sua Rede Sociedade Solidária, Entidade beneficia famílias vulneráveis do município e ameniza impactos do novo coronavírus.

Guarulhos está localizada na região metropolitana de São Paulo. 

De acordo com o Censo 2010, do IBGE, é a casa de 1.221.979 de pessoas. E ainda que a renda per capita média tenha crescido 30,63% nas últimas duas décadas, 6,50% de seus habitantes ainda se encontram na faixa de pobreza, vivendo com menos de 140 reais.

Em tempos de pandemia, esta população sofre ainda mais para garantir condições básicas de sobrevivência.

A LBV, ciente desse cenário, acionou sua Rede Sociedade Solidária e entregou 60 cestas de alimentos não perecíveis e kits de limpeza a moradores da área inter-rural de Guarulhos, atendidos pela Organização Eco Social Água Azul.

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Uma publicação compartilhada por Solidariedade | Mundo Melhor (@lbvbrasil) em

A ocupação Gruta Azul é uma área sem saneamento básico no bairro Água Azul. As famílias que ali residem têm enfrentado grandes desafios com alimentação precária e falta de emprego.

Lucinéia Soares, diretora da ONG Água Azul, explicou a situação destas pessoas e deixou um agradecimento a você, que colabora com esta ação.

"Quero agradecer a vocês por toda a colaboração. Pela segunda vez, recebemos a doação destas cestas de alimentos. Quero agradecer a todos que doam para a LBV. Tenham certeza que sua doação chegou a pessoas que realmente necessitam. Estamos em um bairro totalmente afastado, inter-rural, com 900 famílias muito carentes. Antes da pandemia, as coisas já eram difíceis e agora, neste período, está cada vez mais difícil. São pessoas que trabalham com limpeza, como diaristas, babás e na área rural, estão passando muitas dificuldades. Agora, com essas cestas, têm recebido um alívio. Muito obrigada!".

Abaixo, confira outros cliques da entrega de cestas às famílias da Organização Eco Social Água Azul.

Você ajuda, a LBV faz!

Vale ressaltar ainda que quase metade dos guarulhenses ocupados dependem do setor de serviços, um dos mais afetados pela crise mundial de Covid-19.

Por isso, a solidariedade não pode parar!