Você está aqui

Germinando boas ideias

A semente literal e a metafórica na educação para a transformação social, em Mogi das Cruzes/SP

Vivian R. Ferreira

Por Vivian R. Ferreira

Começo este diário com um desafio: mostrar como a vivência pode superar expectativas propostas por uma atividade, como o cultivo de legumes e verduras. Poderia usar, no título, a frase “Crianças realizam ação verde” ou algo semelhante, mas isso seria reducionista e não descreveria o que as meninas e os meninos em situação de vulnerabilidade social atendidos no Centro Comunitário de Assistência Social da Legião da Boa Vontade em Mogi das Cruzes/SP realmente desfrutam nesse espaço.

Ao participarem dessa atividade, que envolve a manutenção de uma horta orgânica, eles estão tendo contato direto com a terra e ampliando a consciência da importância de cuidar do meio ambiente, o que vai super ao encontro do que ensina o educador Paiva Netto: “Educar. Preservar. Sobreviver. Humanamente também somos Natureza”. Foi o que vivi, fotografei e quero compartilhar com vocês.

O fato de a garotada mexer na terra, trabalhando-se, com isso, o aspecto sensorial, já é excelente por si só, pois nessa tarefa explora, pelo tato, pelo olfato e pela visão, aromas, texturas e cores. Além disso, as crianças acompanham, diariamente, as necessidades que o plantio sem o uso de agrotóxico exige. Presenciar tudo isso foi uma aulona de conhecimento sobre educação ambiental e empatia, que eu vou carregar o restante de minha vida. Aliás, deitada no solo a fim de achar o melhor ângulo para fotografar, testemunhei um ciclo sustentável na relação dos pequenos com os alimentos que vão à mesa do refeitório dessa unidade socioassistencial da LBV, em cardápios diversos, todos os dias. Sim, porque eles conhecem a origem desses mantimentos, tendo a propriedade de quem manuseou as sementes e mudas, cuidou da rega e aprendeu sobre o tempo de germinação e o esforço para que a semente se transforme em alimento. Logo, ampliaram a percepção de responsabilidade, entendendo que comida não pode ser desperdiçada — lição que muito adulto ainda não aprendeu.

Além de todo esse aprendizado, novas amizades foram estabelecidas com base no respeito ao próximo e ao meio ambiente. Alguns até falaram do interesse de levar a ideia da horta orgânica para as respectivas comunidades! É uma injeção de ânimo ver de que forma uma iniciativa como essa da LBV, cujo objetivo primordial é trabalhar com as crianças os hábitos de uma alimentação balanceada, pode produzir tantos resultados positivos, seja individual, seja coletivamente.

Obs.: O almoço estava tão gostoso, repleto de variedade, rico em nutrientes, em cores e em experiência, que não tenho as fotos dele para mostrar, porque aproveitei a ocasião para comer com as crianças (risos). Passar o dia em uma unidade da LBV tem essas vantagens!

Em Mogi das Cruzes/SP, o Centro Comunitário de Assistência Social da LBV fica na Estrada Akiji Kakeya, 22, bairro Porteira Preta. Para outras informações o telefone é: (11) 4796-1926.
______________________________________
Este conteúdo consta na revista BOA VONTADE nº 246, de outubro de 2018. Para obter seu exemplar digital, baixe o aplicativo BOA VONTADE Magazine, disponível gratuitamente na Google Play e na App Store.