Você está aqui

Escola da LBV ensina matemática por meio de brincadeiras :)

Os alunos aprenderam a matéria de forma divertida e ainda, com a realização das atividades, adquiriram bons valores.

Para um desenvolvimento saudável e feliz, a infância precisa ser divertida e cheia de aprendizado. Afinal, as crianças absorvem o conhecimento, de maneira eficiente, brincando. Quanto mais dinâmico for a atividade, mais atraente se torna aos olhos dos pequenos, até porque, é por meio da brincadeira que eles encontram formas de expressar o que pensam e o que sentem, além de desenvolverem maneiras de superar desafios.

Especialistas associam a brincadeira como fator de desenvolvimento afetivo, cognitivo, social e físico. Isso porque, ao brincar, a criança desenvolve habilidades importantes (como concentração, raciocínio lógico, memória e coordenação motora), além de aprender a se relacionar com o outro e consigo mesma.

A Legião da Boa Vontade (LBV), pensando em todos os benefícios que este método alternativo proporciona, realizou no Centro de Educação Infantil José de Paiva Netto, na capital paranaense, algumas brincadeiras para ensinar matemática de forma divertida para os alunos.

Na oportunidade, a diretora da escola, Josiane da Rosa de Almeida, explicou como a nova medida de aprendizado contribui para o desenvolvimento infantil: “Na fase da Educação Infantil, as crianças ainda estão desenvolvendo a capacidade de atenção, pois elas dispersam com muita facilidade. E por meio das brincadeiras, que fazem com que tenham prazer em realizar as atividades, os pequenos sentem-se atraídos e capazes de compreender o que está sendo ensinado”, ressalta.

Os exercícios lúdicos são importantes para mostrar que aprender matemática pode ser muito divertido. A disciplina é uma das matérias mais difíceis para a maioria dos alunos e o método do brincar favorece muito o aprendizado.

Desenvolvendo criatividade e talentos

Reginaldo de Souza

Com os alunos, entre 6 e 8 anos de idade, do PAEx — Projeto de Apoio aos Ex-Alunos —, a professora dividiu a turma em grupos e cada um tinha que resolver um problema de raciocínio lógico, o qual consistia em montar figuras e desenhos abstratos por meio do Tangram — quebra-cabeças constituído por 7 peças: 5 triângulos, 1 quadrado e 1 paralelogramo.

Por meio das formas geométricas, a equipe que terminasse a montagem das peças primeiro era a vencedora. “O Tangram é umas das brincadeiras que tem a função de estimular a criatividade e o raciocínio lógico, criando um ambiente para o trabalho em grupo, onde as crianças aprendem a compartilhar, dividir e ajudar o próximo”, explica a diretora da escola.

Aprender matemática pode ser divertido =D

Outro método dinâmico utilizado para ensinar matemática para as crianças, foi a prática da Amarelinha. Ao mesmo tempo que o exercício ajuda os pequenos a conhecerem e a escreverem os números, também desperta e exercita algumas habilidades, como contar e raciocinar de forma rápida.

Reginaldo de Souza

“A tradicional Amarelinha foi trabalhada com os pequenos do maternal 1 e o objetivo da atividade foi o conhecimento dos números. A sequência numérica que se exige para brincar, incentiva o aluno a desenvolver o raciocínio lógico matemático. Os saltos ou pulos ajudam na agilidade, coordenação e força. É uma brincadeira que auxilia no desenvolvimento motor das crianças”, concluiu a diretora Josiane.

Ajude a mudar, visite e colabore com a LBV! Em Curitiba, PR, o Centro de Educação Infantil José de Paiva Netto, da Legião da Boa Vontade, está localizado na Rua Padre Estanislau Trzebiatówski, 180 — Boqueirão. Para outras informações, ligue: (41) 3386-8430.