Você está aqui

De que forma a alimentação influencia no aprendizado infantil!?

Alimentos que contenham um alto valor nutricional são essenciais para a melhor aprendizagem na infância.

Uma alimentação balanceada não só influencia no desenvolvimento da criança, como também na boa qualidade de vida do adulto. Portanto, os hábitos alimentares possuem uma grande importância para uma rotina saudável, principalmente quando envolve o aprendizado infantil.

A nutrição equilibrada é um fator fundamental na garantia do crescimento correto durante a infância, a pré-adolescência e a adolescência. Já foi comprovado que alunos que seguem uma alimentação equilibrada tendem a apresentar melhores notas e um maior aproveitamento escolar do que aqueles que possuem hábitos alimentares desregrados e com falta de nutrientes.

Shutterstock

Vale ressaltar que as crianças têm uma necessidade maior de ingestão de nutrientes, uma vez que estão em fase de crescimento, tudo está se desenvolvendo: o cérebro, o corpo, a capacidade de concentração e de fala, o raciocínio e entre outros. Dessa forma, alimentos que contenham um alto valor nutricional, como verduras e legumes, são essenciais para o melhor aprendizado das crianças.  

Shutterstock

Uma alternativa para incorporar uma boa alimentação na rotina dos pequenos é por meio de lanches saudáveis, como frutas, grãos integrais e proteínas magras. Além disso, algumas vitaminas podem ser ingeridas para ajudar no desenvolvimento de determinada função cognitiva. Exemplo: para melhorar a memória, deve-se comer alimentos ricos em lecitina, como a soja e o amendoim; já para ajudar no funcionamento do cérebro, as frutas com alto nível de potássio são recomendadas, como a banana, o abacate, a laranja e etc.

Consequências da desnutrição para o aprendizado infantil

Shutterstock

Não é errado deixar a criança comer alimentos mais calóricos de vez quando, o problema é essa alimentação, pobre em nutrientes e vitaminas, se tornar um hábito. Uma vez que isso ocorre, diversas consequências negativas afetam o processo de aprendizagem, a saúde e o desenvolvimento cognitivo, podendo ainda causar problemas neurológicos a longo prazo. Diante disso, citamos alguns efeitos desfavoráveis causados pela má alimentação na infância:

- Agitação;
- Dificuldade de memorização;
- Falta de motivação;
- Atraso da linguagem;
- Falta de concentração;
- Raciocínio lento;
- Redução das aptidões sociais. 

“A alimentação adequada fornece nutrientes importantes na formação do corpo humano, na regulação das funções e na geração de energia. O sistema nervoso é bastante exigente no aproveitamento dos nutrientes para o seu bom funcionamento, e a glicose é a fonte de energia eleita pelos neurônios. Alguns nutrientes são precursores de neurotransmissores responsáveis pela condução de informações, e outros não são sintetizados pelo nosso corpo, necessitando serem supridos pela alimentação. Carências nutricionais podem ocasionar quadros como que levam a mudanças comportamentais, lentidão no raciocínio, irritabilidade e etc”, contextualiza os nutricionistas Marisa Conceição da Silva Gomes e Sérgio Dionízio Nogueira.

LBV

Para se aprofundar neste assunto que representa uma significativa importância para a boa qualidade de vida das crianças, a Legião da Boa Vontade (LBV), em seu 21º Congresso Internacional de Educação, desenvolverá uma oficina com a temática ‘Brincar de comer, nutrindo corpo e mente, numa visão além do intelecto’.

Na ocasião, os nutricionistas Marisa Conceição da Silva Gomes e Sérgio Dionízio Nogueira abordarão acerca da importância do consumo de alimentos saudáveis necessários ao crescimento, desenvolvimento e socialização dos alunos. Ainda trazendo a educação nutricional como contribuinte para a formação de cérebro e coração; e como os educadores podem ajudar nessa questão.

“Os educadores muitas vezes passam mais horas com o aluno do que a própria família. As fases do crescimento e desenvolvimento acontecem diante desses olhares treinados. A manutenção da saúde através da boa alimentação é responsabilidade de todos, principalmente quando se trata de horário integral. Muitas vezes uma questão que aparentemente é comportamental, pode ser também uma causa nutricional. O educador precisa entender que a alimentação é fundamental para que o cérebro e todas as suas funções estejam prontas para receber e fixar informações, planejar e realizar ações”, ressalta os profissionais em nutrição.

Saiba mais informações sobre o evento clicando AQUI.


*Com informações dos sites Made in Natural, Next e CBV.