Você está aqui

Conhecendo o Museu de Artes e Ofícios com as crianças da LBV

Na ocasião, os atendidos aprenderam sobre as atividades humanas desempenhadas entre os séculos XVIII a XX.

Belo Horizonte/MG — As crianças e adolescentes atendidos pela Legião da Boa Vontade (LBV) tiveram a oportunidade de visitar o Museu de Artes e Ofícios (MAO) e aprender um pouco mais sobre as atividades humanas desempenhadas entre os séculos XVIII a XX.

São mais de 2,5 mil peças originais que representam as diferentes profissões e contam a história de como essa força criativa do ser humano se transformava em ferramentas de trabalho e em apetrechos artísticos. Vamos conhecer juntos um pouquinho deste museu da capital mineira!?

Esta construção super bonita, que hoje abriga o museu, era antigamente uma estação ferroviária, um portal para lá de movimentado que abria as portas da capital para pessoas vindas de todos os lugares do Brasil. E não à toa, o MAO está situado na Praça da Estação.

Viviane de Oliveira

A atendida Mirella Bruno da Silva, de 11 anos, destacou, após a abertura do passeio: "Gostei muito da história do museu e de como ele começou a surgir, um lugar onde as pessoas embarcavam para o trem".

Na seção dos Ofícios do Transporte, os atendidos puderam perceber a importância desta profissão, que dentre outros objetivos, abria as estradas do Estado e levava os alimentos que seriam consumidos nas regiões de Minas Gerais. Uma curiosidade é que o feijão tropeiro, prato tipicamente mineiro, recebeu este nome devido aos ingredientes que eram levados por tropeiros que viajavam longas distâncias em tropas.

Viviane de Oliveira

O Ícaro Paixão, de 12 anos, apreciou os itens que compõem a seção dos Ofícios do Transporte e na ocasião, destacou o aprendizado que teve: "Nós aprendemos sobre restauração em coisas antigas e reforma. Elas são diferentes, reforma você faz uma coisa nova e restauração você melhora o que já foi construído".

Sobre os trabalhos ligados ao transporte, muitos navegantes colocavam em suas embarcações esculturas de madeira bastante chamativas e até assustadoras com o objetivo de protegê-los e espantar os maus espíritos que porventura aparecessem no caminho. 

Viviane de Oliveira

Uma das esculturas de madeira que os navegantes colocavam nas embarcações.

Com uma história tão extensa, o MAO encontrou uma forma diferente de homenagear todos os trabalhadores que ajudaram na construção e na consolidação do projeto: eternizando em suas paredes o nome de todos os funcionários que atuaram nestes primórdios.

Viviane de Oliveira

O atendido Arhur Barbosa, de 12 anos, nos conta mais detalhes sobre este momento da visitação ao MAO: "O que me chamou a atenção foi o túnel, lá a gente passava por baixo dos trilhos do trem e até do metrô também. E nas paredes tinham os nomes de quase 700 pessoas que trabalharam no museu. A guia falou que os nomes estão em ordem alfabética para ficar mais organizado, não ter confusão e para valorizar todas as profissões”.

Viviane de Oliveira

 As crianças assistiram a um vídeo sobre os ofícios da marcenaria e observaram curiosas o torno de madeira. Imagina só o trabalhão para construir e utilizar essa máquina para o trabalho. Haja habilidade, hein?

No Jardim das Energias, as crianças e adolescentes aprenderam sobre outras formas de obter força mecânica para a realização do trabalho, e ainda exercitaram a criatividade ao tentar imaginar como era a vida da população naquela época. Olha só o que o Micael Assis, de 13 anos, destacou: "Antigamente não tinha tomada para eles usarem como hoje, não tinha energia elétrica. Era mais a energia com a força humana, com os animais e a força da água."

Viviane de Oliveira

Já que estamos na terra das minas gerais, famosa por sua grande riqueza em ouro e metais preciosos, os atendidos conheceram ainda os Ofícios da Lapidação e Ourivesaria.

Viviane de Oliveira

Os atendidos entretidos com o processo de lapidação de pedras preciosas.

E aqui se encerra o nosso tour virtual pelo Museu de Artes e Ofícios. Esse foi um dos passeios culturais que as crianças e adolescentes atendidos pela LBV participaram e esperamos que você também tenha a oportunidade de conhecer este lugar repleto de histórias e acervos super legais. ;D

Viviane de Oliveira

Aproveite e faça uma visita à LBV! Em Belo Horizonte, MG, ela está localizada na Avenida Cristiano Machado, 10691 – Planalto – Telefone para contato: (31) 3490-8101. Vamos trocar figurinhas e saber o que você achou dessa atração turística da capital mineira, que tal?