Você está aqui

Como combater o mosquito Aedes aegypti? As crianças atendidas pela LBV sabem

A garotada discutiu medidas simples de combate ao mosquito transmissor

Bauru, SP — A proliferação do mosquito Aedes aegypti, vetor da dengue, da febre chicungunya e do Zika vírus, ainda preocupa a população. Segundo dados da Secretaria Municipal de Saúde, o município de Bauru já totaliza 791 casos. Visando amenizar a epidemia, a Legião da Boa Vontade promoveu nessa sexta-feira, 15, em parceria com o Departamento de Saúde Coletiva, uma palestra educativa às meninas e aos meninos atendidos pelo programa Criança: Futuro no Presente!.

Cleodete Basso

De forma lúdica, as crianças colocam no papel o que aprederam durante a roda de conversa sobre a prevenção do mosquito aedes aegypti.

Em visita ao Centro Comunitário de Assistência Social, a agente epidemiológica Camila Firmino desenvolveu a iniciativa por meio de contação de história. Nada melhor que trabalhar o imaginário dos pequenos para facilitar a aprendizagem, não é mesmo? Durante a conversa, a garotada refletiu sobre as diversas maneiras existentes para combater os focos do inseto.

João Pedro, 12 anos, fez questão de compartilhar com os amigos suas práticas para combater o mosquito transmissor. “Aprendi bastante coisas novas hoje, e concluí que precisamos fazer muito mais do que já fazemos como, por exemplo, jogar o lixo em local adequado, evitar deixar no quintal água parada, recolher latas e pneus, pois são objetos que favorecem a formação de criadouros. Depois dessa atividade, estou levando para a casa mais instruções”, disse.

Cleodete Basso

Durante a visita dos agentes no Centro Comunitário de Assistência Social, as crianças participaram de uma contação de história sobre o mosquito da dengue.

Na ocasião, a palestrante mencionou os sintomas que caracterizam cada uma das doenças que podem ser transmitidas pelo Aedes aegypti, apresentando, em seguida, suas fases de desenvolvimento, desde o ovo ao surgimento do mosquito vetor. “Não se pode descuidar das práticas simples, como manter a caixa d’água limpa e tampada e os vasos de plantas com areia, para não colaborar com a criação das larvas. Temos que ficar atentos, sempre”, orientou Camila Firmino.

Para a atendida Juliane, 9 anos, a experiência foi nota 10. “Eu gostei muito de participar dessa atividade. Todas as minhas dúvidas foram bem respondidas. Estou mais consciente de meu importante papel nessa luta pelo combate ao mosquito. A partir de agora, vou reforçar as minhas atitudes, vou começar a observar melhor ao meu redor. Quero ajudar a população e minha própria família a ficar longe dessas doenças”, comentou.

Segundo a educadora social Samara Miguel, a LBV se preocupa em promover, ao logo do ano, diversas ações de conscientização do público amparado por seus projetos e programas socioeducacionais. “O trabalho já vem sendo discutido durante as oficinas culturais com a garotada. A ação de hoje contribuiu para agregar mais informações importantes, pois isso enriqueceu a todos. Unindo conhecimento e atitude, conseguiremos eliminar este problema”, pontuou.

Cleodete Basso

Através dos agentes epidemiológicos do Departamento de Saúde Coletiva, as crianças puderam conhecer de perto as quatro fases de desenvolvimento do mosquito, compostas pelo ovo, larva, pupa e o período adulto, que é causador de diversas doenças, como a dengue, chikungunya e zica vírus.

Ao final da palestra, a representante da Secretaria Municipal de Saúde conheceu as salas de atividades, bem como o trabalho desenvolvido pela Legião da Boa Vontade com famílias que vivem em situação de pobreza no município. “Pudemos conhecer de perto o trabalho da LBV, que é maravilhoso. O mundo precisa de pessoas que amem umas as outras, que valorizem os bons sentimentos, assim como percebi que aqui isso é feito. Parabéns à Entidade, e que Deus abençoe sempre o seu trabalho”, destacou Camila Firmino.

Em Bauru, SP, o Centro Comunitário de Assistência Social, da Legião da Boa Vontade, está localizado na Rua Alberto Paulovich, 2-30 — Bairro Mary Dota. Para outras informações, ligue: (14) 3239-2796.