Você está aqui

Cidadania Ecumênica como foco

Vivian R. Ferreira

A marca de todas as ações promovidas pela Legião da Boa Vontade — programas, oficinas, cursos, serviços, atividades escolares para crianças, jovens e adultos etc. — é o diferencial que ela traz para a vida de seus atendidos, pensando neles em sua integralidade, ao cuidar da ampliação do conhecimento (cérebro), sem esquecer os sentimentos (coração) de cada indivíduo, tratando a cada um com amor, atenção e empatia, ao lhes proporcionar Educação com Espiritualidade Ecumênica. A Instituição entende que a raiz dos maiores problemas do Brasil e do mundo pode estar na falta do exercício desses e de outros sentimentos e valores elevados, vivência essa que representa a maior riqueza que um país pode ter. Para transformar esse ideal fraterno em realidade, a LBV, há mais de 30 anos, fez surgir uma linha pedagógica inovadora, com uma metodologia própria. Você conhecerá um pouco dessa proposta educacional a seguir.

Uma visão além do intelecto
Em prol do desenvolvimento do indivíduo em todas as suas dimensões (espiritual, biológica, psíquica e social), o diretor-presidente da LBV, o edu­cador José de Paiva Netto, criou a Pedagogia do Afeto (destinada a crianças de até os 10 anos) e a Pedagogia do Cidadão Ecumênico (aplicada àqueles que têm a partir dos 11 anos de idade). Estas são postas em prática na LBV, que atua em países da América Latina, da América do Norte e da Europa.

Arquivo BV
O Instituto de Educação José de Paiva Netto, em São Paulo/SP, demonstra que educação de qualidade, Solidariedade e Espiritualidade Ecumênica são indispensáveis à formação do cidadão pleno. Tais valores são exercitados pela Pedagogia do Afeto e pela Pedagogia do Cidadão Ecumênico, criadas por Paiva Netto e aplicadas, com sucesso, na rede de ensino e nos programas socioeducativos da Instituição. Em um grande totem, ao lado do frontispício, o dirigente da LBV fez colocar esta máxima de Aristóteles (384-322 a.C.), grafada em letras douradas: “Todos quantos têm meditado na arte de governar o gênero humano acabam por se convencer de que a sorte dos impérios depende da educação da mocidade”.

A proposta da linha educacional vanguardeira da Entidade é que se some aos valores espirituais, éticos e ecumênicos o saber intelectual a fim de que haja maior enriquecimento do conteúdo pedagógico oferecido. Em consonância com esse propósito, o dirigente da Instituição, há décadas, tem pontuado: “Convoco a inteligência de todos para este entendimento: é essencial enxergar além do intelecto. A mente sem o sentimento é forma castradora de pensar”.

+CONFIRA ESTE CONTEÚDO TAMBÉM DISPONÍVEL NA PLATAFORMA ISSUU

Desse modo, a LBV investe na formação completa do educando, pois o considera em sua integralidade como um ser espírito-biopsicossocial, que traz consigo o registro de experiências anteriores, as quais podem contribuir para o aprendizado dele. A educação proporcionada pela Instituição fundamenta-se nos valores nascidos do Amor Fraterno, que enriquece a pessoa para a vivência da Cidadania Ecumênica, firmada esta no exercício pleno da Solidariedade Global, que se traduz no preceito imortal de Jesus: Seu Novo Mandamento — “Amai-vos como Eu vos amei. Somente assim podereis ser reconhecidos como meus discípulos” (Evangelho, segundo João, 13:34 e 35).

João Periotto

Pedagogia do afeto, da LBV
É a pedagogia utilizada para atividades com crianças de até os 10 anos, levando-se em conta a rea­lidade de um cenário muitas vezes de agressividade (na forma de violência física, psicológica e/ou emocional), que produz diversas sequelas, entre as quais cicatrizes no corpo e/ou no Espírito. Daí se reforçar a importância de a vivência dos bons sentimentos aliar-se ao estímulo do desenvolvimento da inteligência das meninas e dos meninos desde a mais tenra idade deles, para que o afeto que recebam não fique restrito ao ambiente familiar, mas também seja compromisso da escola. A fórmula do sucesso dessa pedagogia implica nutrir o coração das crianças de bons valores ao mesmo tempo que se oferece ensino de alta qualidade, abrangendo-se, assim, indivíduos de uma faixa etária mais vulnerável no processo do próprio desenvolvimento. Esses esforços fortalecem seus corações e os preparam, nessa fase determinante da aprendizagem, para a convivência harmoniosa em sociedade.

Vivian R. Ferreira

Pedagogia do Cidadão Ecumênico, da LBV
Aplicada no ensino regular — abrangidos neste os Ensinos Fundamental e Médio e a Educação de Jovens e Adultos (EJA) — e nos programas socioeducacionais propiciados pela Legião da Boa Vontade a indivíduos que têm 11 ou mais anos de idade, a Pedagogia do Cidadão Ecumênico apresenta resultados bastante expressivos, fruto do oferecimento de um conteúdo pedagógico de excelência, permeado pela Espiritualidade Ecumênica. Isso fica comprovado pela motivação dos alunos na continuidade dos estudos — as escolas da LBV não têm evasão escolar — e pelo acesso dos concluintes da Educação Básica ministrada na rede de ensino da Instituição a faculdades públicas e privadas (com bolsas parciais e integrais).

Vivian R. Ferreira

Linha pedagógica da LBV na prática
A LBV possui metodologia própria para sua rede de ensino e para os programas socio­educacionais que mantém: o MAPREI (Método de Aprendizagem por Pesquisa Racional, Emocional e Intuitiva). Trata-se de ferramenta pedagógica que viabiliza a aplicabilidade dos valores de Espiritualidade Ecumênica aliados aos conteúdos pedagógicos, mediante os conceitos que inspiram a rede de ensino da LBV, advindos da Pedagogia criada pelo educador Paiva Netto, que objetiva garantir qualidade intelectual unida ao desenvolvimento de Cidadãos Ecumênicos.

É utilizada no planejamento das atividades da matriz curricular nos estabelecimentos de ensino da Entidade, bem como no das ações lúdicas e esportivas realizadas em outras unidades de atendimento da LBV, em conformidade com as diferentes faixas etárias atendidas nesses locais. O objetivo do MAPREI é desenvolver no indivíduo habilidades investigativas, racionais e intuitivas por meio do incentivo à pesquisa e do aprofundamento do estudo de temas diversos, recursos esses primordiais à construção do conhecimento. O educando é visto como protagonista no processo de aprendizagem, mediado pela figura do professor, responsável pelo sucesso dos estudantes ao direcionar as ações de sua respectiva disciplina nas seis etapas do método.

Helen Winkler/Diego Ciusz
Helen Winkler/Diego Ciusz