Você está aqui

Atendidos da LBV participam de atividade de conscientização contra o trabalho infantil

No Brasil, 2.4 milhões de crianças e adolescentes, entre 5 e 17 anos, se encontram em situação de exploração laboral.

São Luís/MA — O trabalho infantil é uma atividade que priva a criança de sua infância, interferindo na capacidade de frequentar a escola regularmente, de brincar e de realizar quaisquer atividades que façam parte dos seus direitos. No Brasil, 2.4 milhões de crianças e adolescentes, entre 5 e 17 anos, estão trabalhando. Geralmente, eles se encontram na agricultura, na pecuária, no comércio, nos domicílios, nas ruas, na construção civil e entre outras situações.

Os jovens que trabalham precocemente e de forma irregular têm o aprendizado, os sonhos, a proteção e as brincadeiras substituídos por uma rotina pesada de exposição a perigos, riscos e traumas.  

Pensando nisso, a Legião da Boa Vontade (LBV) realizou, na Semana do Combate ao Trabalho Infantil, atividades de aprendizado e conscientização para as crianças e adolescentes. Através da oficina de Cidadania Ecumênica, desenvolvida pela educadora Silvia Mendes, os atendidos puderam aprender sobre o que é o trabalho infantil.

Edson Geraldo

“As crianças não tinham noção sobre o que era o trabalho infantil, sobre os seus direitos, quais as características e o que fazer em caso de algum deles passarem por isso. Então, dentro da oficina foram trabalhados vídeos e rodas de conversa sobre o tema. Depois, cada criança fez sua própria produção com desenhos sobre as formas de trabalho infantil que existem e que eles aprenderam”, destaca a educadora da LBV.

Ainda, uma das atendidas pelo Criança: Futuro no Presente!, Lana Patrícia, escreveu uma história que foi apresentada em forma de teatro pela educadora e pelas crianças.

Edson Geraldo

Trabalhos artísticos feito pelos atendidos durante a oficina. =D

“A oficina que eu mais gosto aqui na LBV é a de arte e cultura, porque nós produzimos desenhos, pinturas e textos. E hoje, eu aprendi que trabalho infantil não pode acontecer e se acontecer temos que informar ao conselho tutelar. Nós temos direito de brincar e precisamos estudar, porque senão não vamos ter um futuro bom. Eu escrevi uma história sobre a menina Marininha que não podia brincar e nem ir à escola, porque ela tinha que trabalhar, o que era muito triste. Eu e meus colegas apresentamos a história como teatro e todos puderam aprender mais sobre o trabalho infantil”, explica Lana Patrícia, de 11 anos.

É fundamental que a sociedade se conscientize sobre a importância de combater a exploração do trabalho infantil. Proteger as crianças e adolescentes é um dever de todos. Para denunciar essa pratica ilegal, disque 100. A denúncia é gratuita e feita de forma anônima.

Visite, apaixone-se e ajude a LBV! O Centro Comunitário de Assistência Social, da Instituição, fica na Rua Catulo da Paixão Cearense, 74 – Vila Passos. Telefone: (98) 3414-1428.


*Texto feito por Suyane Oliveira.
**Informações do site Nações Unidas.