Você está aqui

6 dicas para proteger crianças de acidentes domésticos

Em Manaus, crianças da LBV participam de palestra educativa com integrantes do Corpo de Bombeiros

Já ouviu aquele ditado: quando a criança está muito quieta, é sinal que está aprontando alguma arte? Mas nem sempre a arte pode ser uma parede rabiscada, um brinquedo espalhado, um pacote de farinha jogado no chão da casa. As residências oferecem grandes perigos às crianças e, segundo o Ministério da Saúde, os acidentes domésticos tem sido a principal causa de morte de crianças até os 9 anos de idade.

Placilda Rodrigues

Manaus, AM - Acidentes domésticos representam a principal causa de morte de crianças até os 9 anos. As crianças da LBV ouviram dicas importantes de como se prevenir desses perigos. 

Buscando proteger os meninos e meninas e contribuindo com o bem-estar e a segurança familiar, a Legião da Boa Vontade (LBV) convidou integrantes do Corpo de Bombeiros do Estado do Amazonas para orientar os pequenos sobre os principais perigos que podem ocasionar acidentes gravíssimos em casa. Durante o bate-papo, as crianças atendidas pela LBV puderam tirar dúvidas e esclarecer alguns pontos sobre como se proteger desses perigos ocultos do dia a dia.

As informações repassadas pelos Bombeiros são de extrema importância para resguardar a segurança dos pequenos. Os cuidados vão desde a vigilância constante das crianças até mesmo a forma de armazenar produtos químicos, de limpeza e remédios. Identificar pontos perigosos em casa, como móveis, escadas, janelas sem telas de proteção, também pode ajudar a garantir a integridade dos pequenos.

Socorro Leão

Manaus, AM — Bombeiros civis orientam crianças e adolescentes sobre os perigos com os acidentes domésticos. 

De acordo com o bombeiro Adriano Oliveira, as crianças são as grandes vítimas dos acidentes domésticos. “92% dos acidentes domésticos envolvem crianças. Como medida de prevenção para evitar que esses problemas aconteçam em casa ou na escola, passamos essas orientações para que esses cuidados sejam tomados não somente em casa, mas onde quer que elas estejam. São orientações passadas para que esses índices diminuam. É uma medida preventiva onde os pais fazem a sua parte e as crianças também fazem a parte delas. Os pequenos vão associar as informações que estão recebendo e vão levar isso para o dia a dia”, explica.

A atendida pela LBV Isla Gabriely, 9 anos, aprendeu muito com a palestra. Agora ela quer compartilhar o conhecimento com os pais para que eles também fiquem atentos a todas as situações de perigo. “Na palestra eu aprendi que devemos alertar o papai e a mamãe sobre alguns perigos em casa como: não tomar remédios sem autorização dos adultos, colocar materiais de limpeza longe do alcance das crianças, ter cuidados com as tomadas de energia, com facas, não brincar com fogo. Na rua, nunca soltar pipas perto de fiação elétrica e nem utilizar linhas cortantes. E quando uma criança tomar remédio e fazer mal, levar imediatamente ao médico com a embalagem do remédio que foi consumido”, destaca.

Confira 6 dicas para proteger crianças de acidentes domésticos

Queimaduras

Esses casos necessitam de atenção especial. Normalmente, a queimadura ocorre ao lado do fogão, quando crianças derrubam panelas e seu conteúdo sobre o corpo. Deve-se evitar cabo de panela voltado para fora do fogão, brincadeiras com álcool e fogo e também o uso de fogos de artifício.

Afogamentos

Para bebês e crianças pequenas, até baldes, banheiras e vasos sanitários podem oferecer riscos. Um adulto deve sempre supervisionar as crianças e adolescentes onde houver água, mesmo que saibam nadar ou que os locais sejam considerados rasos. É primordial cercar piscinas em casas onde há crianças.

Quedas

Além de observar e fornecer as orientações de comportamento e segurança para as crianças, os pais devem tomar providências como usar protetores nas tomadas e nas quinas dos móveis; não deixar cadeiras, camas e bancos perto de janelas; e providenciar antiderrapantes nos tapetes para evitar escorregões.

Intoxicação

Em casos de ingestão de inseticidas, álcool, detergentes e outras substâncias tóxicas, a primeira providência dos pais deve ser levar a criança para uma emergência hospitalar, para que os profissionais identifiquem a substância e o tratamento que será adequado para aquela situação.

Brinquedos

Na hora de escolher os brinquedos, considere a idade e o nível de habilidade da criança, seguindo as recomendações do fabricante. Procure brinquedos com o selo do Inmetro. Fique atento a brinquedos que podem oferecer risco de engasgamento (peças pequenas para bebê e as crianças menores), de estrangulamento (correntes, tiras e cordas) e de corte (pontas, bordas afiadas).

No carro

É importante tomar cuidados para que crianças sejam transportadas no carro de forma segura. Bebês de 0 a 1 ano devem ser transportados no bebê-conforto, no banco de trás, voltado para o vidro traseiro, segundo o Código de Trânsito Brasileiro; crianças de 1 a 4 anos devem ser transportadas em cadeira especial no banco de trás, voltada para frente; crianças de 4 a 6 anos, devem usar os assentos de elevação (boosters), com cinto de segurança de três pontos, e serem conduzidas sempre no banco traseiro. Após os sete anos e meio, as crianças, no banco de trás, podem usar apenas o cinto de segurança de três pontos. Por lei, só é permitido sentar no banco da frente a partir dos 10 anos de idade e com cinto de segurança.

Fonte: Portal Brasil.

Visite, apaixone-se e ajude a LBV! Em Manaus, AM, o Centro Comunitário de Assistência Social, da Legião da Boa Vontade, está localizado na Av. Presidente Castelo Branco, 997 – Cachoeirinha. Para outras informações, ligue: (92) 3215-7930.